top of page
  • Gabriela Moreira

O poder de uma metaconversa

Atualizado: 29 de ago. de 2022

A metaconversa é uma excelente ferramenta para transformar seus relacionamentos de algo ordinário para algo extraordinário e eu posso te provar isso!


Estava conversando com uma amiga enquanto almoçávamos. Havia um pingo de ketchup na minha mão e ela disse: "cuidado! tem ketchup na sua mão, vai sujar sua roupa!". Eu imediatamente fiquei fisgada com essa frase e devolvi com uma resposta reativa dizendo: "sinto raiva porque parece que você está tentando me salvar, você está agindo como uma mãe, não me importo em me sujar" (falei isso com um tom claramente de raiva emocional e não sentimental).


Percebendo isso, ela propôs uma metaconversa trazendo a seguinte pergunta pra mesa: "O que realmente está acontecendo?"


Imediatamente meu gremiling a cortou, fugindo da proposta e não querendo ter uma conversa sobre a conversa. Ele fez isso, porque claro, essa pergunta da minha amiga tinha potencial de trazer transformação (e tudo que o gremiling deseja é evitar responsabilidade e transformação). Eu respondi a ela: "não vamos entrar nisso, não foi nada demais essa coisa do ketchup, já estou cansada de ficar aprofundando em coisas tão pequenas".


A Metaconvesa é uma maneira de criar maior autenticidade pra você e pro seu relacionamento navegando até um estado liquido a partir de uma conversa sobre a conversa. Ter uma conversa sobre a conversa é chamado de 'Metaconversa'.


A maneira de entrar em uma metaconversação é colocar sua atenção fora dos limites da conversa original, como um observador e então, falar de fora da conversa sobre o que você observa acontecendo dentro da conversa. Por isso, para que uma metaconversa aconteça é preciso que o iniciador da metaconversa tenha a espada da clareza levantada, porque o gremiling e a caixa vão entrar no meio inevitavelmente.


Nesse caso, minha amiga que propôs essa metaconversa sobre minha reação ao aviso dela sobre o ketchup falou de fora da conversa sobre o que ela observava que tinha acabado de acontecer: "Gabriela você teve uma reação ao meu comentário e quando perguntei o que estava acontecendo você deixou seu gremiling possuir o espaço trazendo justificativas para não sentir o que você está sentindo. Eu não estou disponível a estar em relações com pessoas que não tem disponibilidade de aprofundar o contexto e o que está realmente acontecendo. O que está acontecendo?"


Nesse momento deixei isso me acertar e foi quando consegui acessar meus sentimentos e me conectar com o que estava realmente a acontecer.


Percebi enquanto deixei meus sentimentos falarem que aquele simples e bobo comentário me engatilhou uma raiva de ser controlada por outra pessoa, projetei imediatamente cenas da minha mãe e minha avô, durante minha infância, na minha amiga. Isso é muito comum de acontecer quando estamos em relação com o outro: projetar coisas não curadas do passado em falas, situações, tom de voz, atitudes, quase como se aquilo fosse a realidade, mas na verdade é uma emoção, algo do passado sendo projetado no presente, como um filme. Não estar atento a isso é uma porta perfeita pra destruição de qualquer relacionamento e a metaconversa é uma ferramenta pra encontrar essas portas, anotá-las para trabalhar em seguida e dizer: 'não é sobre você, nesse momento projetei algo do meu passado, me comprometo a olhar pra isso'.


Continuando na situação do almoço: em seguida, compartilhei sobre a raiva que estava sentindo e que estava acumulando durante todo o dia, de pequenos momentos, de sentir meus limites sendo ultrapassado. Ela compartilhou que sentia raiva e tristeza por saber que eu não estava comunicando meus sentimentos e que aquilo era o início para destruir nossa amizade. Ela perguntou porque meu gremiling estava a fazer isso? Por que eu não comuniquei a raiva quando a senti? Por que decidi 'guardar'?


O que eu descobri com essas perguntas é que minha gremiling tem um pote de ressentimentos. Passei o dia coletando pequenas raivas e colocando nesse pote, esperando que um momento ele ficasse cheio e assim eu poderia ter motivos suficientes para cortar conexão, para assim tomar vingança. Por algum motivo meu gremiling quer que eu fique sozinha, e isso foi uma grande porta de cura pra mim, que vou mergulhar depois.


Esse momento criado, foi um espaço mágico porque foi um espaço perigoso e seguro ao mesmo tempo. Foi uma experiência de um relacionamento adulto e radical de assumir a responsabilidade sobre o que estava a acontecer e usar os sentimentos para criar alto drama, estado liquido e transformação. Ao mesmo tempo pude experenciar o mais genuíno amor, sentir todos os sentimentos e expressá-los, inclusive a raiva.


Usamos a metaconversa sem saber que estávamos fazendo uma metaconversa, e foi revelador e mágico. O espaço foi completamente transformado.


Se essa mesma situação acontecesse e ninguém decidisse tomar a responsabilidade sobre mudar o espaço, o que aconteceria é que, ambas, ficariam com os sentimentos sem serem expressos e fingiriam que nada aconteceu. Isso seria a semente perfeita para dar início a destruição da intimidade na nossa amizade. Quantas vezes isso já aconteceu com você? Quantas vezes coisas pequenas, quase invisíveis começaram a comer o amor e a intimidade em seus relacionamentos pouco a pouco? É assim que os relacionamentos começam a morrer.


Por isso decidi fazer esse artigo. Decidi escrever esse artigo porque sinto raiva de continuar minando meus relacionamentos com a merda de um baixo drama. Sinto tristeza pelas amizades que já deixei morrer por causa dessa estratégia de guardar ressentimentos ao invés de comunicar de forma adulta e responsável meus sentimentos. Descobri com essa experiência que a metaconversa é uma ferramenta incrível para construir e nutrir a intimidade no relacionamento, tal como é um caminho de encontrar portas de cura e nos levar a um estado liquido.


Mas de forma prática, como você pode começar uma metaconversa?

Para você poder criar uma metaconversa você pode começar falando sobre a forma como a fala está acontecendo: o tom de voz, os impulsos, a palavra usada, o propósito, a intenção. Fale sobre como a conversa está indo e o que está realmente acontecendo. É completamente possível que a pessoa não queira deixar o espaço comum que estavam habitando, como eu por exemplo, que não queria entrar em contato com os meus sentimentos que estavam rolando porque meu Gremlin estava querendo se alimentar.


Por isso, o primeiro passo para iniciar uma metaconversa é o mais difícil: colocar sua atenção fora dos limites do espaço original da conversa. Somos tão facilmente hipnotizados na história que está acontecendo que perdemos a possibilidade de ocupar esse lugar de fora da situação. Quando as crianças estão gritando umas com as outras, ou seu parceiro está reclamando, tendemos a acreditar na realidade de seus sentimentos, suas razões e suas histórias. Ao ficar hipnotizado perde-se a possibilidade de mudar o espaço.


Uma forma de não ficar hipnotizado é trazer perguntas como essa que minha amiga me fez: o que está realmente acontecendo?


Você também pode fazer perguntas como:

  • Eu ouvi o que você está pensando, eu gostaria de ouvir também o que você está sentindo;

  • Qual o seu propósito ao dizer isso que acabou de dizer?

  • Pode ter algo nisso que acabou de compartilhar está te assustando?

  • Qual parte de você está falando isso?

  • Eu percebi que seus ombros estão tensionados, você está sentindo algo?

Além disso, para uma metaconversa acontecer é preciso:

  1. possuir sua atenção para que você possa movê-la livremente;

  2. estar centrado para que você não esteja entregando sua autoridade;

  3. indo não linear para que você não seja limitado pelas barreiras aparentes da realidade oferecidas pelo espaço de uma conversa.

O que eu descobri com essa experiência extraordinária, durante um almoço com ketchup, foi que é possível usar a metaconversa como uma grande ferramenta para transformar a relação e além disso, revelar autênticos Portais para Processos de Cura Emocional.

Se você mantiver a sua Espada da Clareza, o seu Sniffer de Propósito ligado e ao mesmo tempo manter uma conexão Ser-a-Ser com os outros, então essa Metaconversação tem a capacidade de levar as pessoas ao limite de sua zona de conforto, em um estado liquido, como aconteceu entre eu e minha amiga. No Estado Líquido nossas certezas e defesas ficam menos sólidas, e as reais crenças, propósitos e pressupostos podem vir à tona e ser transformados.


Qualquer uma das pessoas em sua Metaconversação, incluindo você, está sob o poder transformacional da Metaconversação e pode descobrir partes que estavam esperando para serem curadas, vistas ou ouvidas.


Coisas muito pequenas podem sim ser grandes portais de cura, como um comentário sobre um ketchup na mão. Cabe ter os olhos de quem vê e a disposição e comprometimento com seu processo e o processo dos seus parceiros de equipe. Porque a cura de um é a cura de todos.


Sou profundamente grata por essa metaconversa ter dado acesso a grandes portas de cura a mim, apesar da resistência em primeiro momento da minha gremiling. Agradeço pela persistência, amor e vontade de criar intimidade na nossa relação por parte da minha amiga. Sinto muita alegria por me conectar tão profundamente com tantos seres humanos que estão tão comprometidos com a própria transformação tal como com o meu processo.


Se você quer se aprofundar nesse tema recomendo fortemente fazer alguns experimentos que está ao fim desse website. Apenas a prática consciente cria a competência consciente.


Com Amor e Aventura,

Unfolding Essence Gabriela

99 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page