top of page
  • Gabriela Moreira

Como você escolhe usar o seu tempo?

Atualizado: 27 de mar. de 2023

Um artigo com um leque de distinções, experimentos e possibilidades para você assumir uma nova relação com o tempo.


Pegue um cronômetro. Coloque 1 minuto. Nesse tempo determinado apenas siga os primeiros impulsos que surgirem. O que você escolhe fazer nesse um minuto? Observe os pensamentos, os sentimentos, as direções que vai sua atenção. Valendo.


Tic tac, tic tac, tic tac....


Como foi para você experienciar esse um minuto? Passou rápido? Passou devagar? O que você observou? O que você deixou de observar? O que você decidiu fazer com esse tempo ou o que você deixou de decidir (não decidir é também uma decisão)? Qual filtro você usou para determinar a ação que você fez ou deixou de fazer?


Comecei esse minuto olhando para dois pássaros que estavam na árvore à minha frente enquanto escrevia. Segundos em seguida já começaram impulsos frenéticos da minha mente: "e se você aproveitasse esse um minuto para fazer algo mais útil, talvez responder a mensagem de tal pessoa, ou enviar esse e-mail, ou finalizar esse flyer, ou fazer uma publicação no insta." "Você vai mesmo perder tempo olhando pra esses pássaros?". Não cedi a esses pensamentos, continuei observando aos pássaros, mas agora já estava mordendo as minhas unhas, tentando descarregar e anestesiar o medo de "estar fazendo nada" e perder tempo, "quero terminar esse artigo".


Me dou conta de estar espremida dentro do sistema patriarcal e do império capitalista. Percebo em um simples exercício como esse que uso o filtro "tempo é dinheiro, não posso perder tempo com coisas inúteis" como ponto de partida para minhas decisões. Se em um minuto tudo isso acontece, o que acontece então em um dia? E em um mês? Um ano? De onde está partindo as minhas ações no tempo que digo "não ter"?.


Desde muito pequeno você aprendeu a fazer coisas úteis, produtivas, você aprendeu a ser eficaz. Você aprendeu a colocar o seu foco, a sua presença e a sua atenção a venda em leilões para que te dissessem o próximo dever á ser feito, o próximo relatório, a próxima tarefa. Você aprendeu a valorizar o fazer para ter, e assim tendo, ser. Ser feliz, ser sucedido, ser realizado.


Você cria seus dias, meses, anos, de forma a direcionar o seu foco nas urgências, nas prioridades. De repente você se vê cansado e sem energia para dedicar ao que te nutre, ao que realmente te importa. Você escolheu ser consumido pelo tempo.


A forma como você experiencia o tempo é determinada pelo FOCO. O foco está onde está a maior parte da sua atenção. Quando a maior parte da sua atenção está nas preocupações da sua mente sobre os boletos da próxima semana, então seu foco está no futuro, na sua mente. Quando a maior parte da sua atenção está na sensação dos seus pés tocando o chão, então o seu foco está no presente.


O seu foco é tão maleável quanto o ar, ele vai em um milésimo de segundo de um um lugar para o outro. Na era da informação seu foco é até mesmo guerreado por corporações, que fazem purpurinas, cores, bichos saltitantes e comidas pintadas de fritas para te fisgar. Existe algo até chamado Economia da Atenção, que aborda a atenção humana como um bem escasso que pode ser comprado e vendido para gerar lucro para grandes empresas que estão matando Gaia.


Foco é um músculo que está atrofiado e raquítico no mundo.


O QUE FAZ VOCÊ PERDER O FOCO?


1. Tentar evitar algo

Você perde o seu foco quando tenta evitar coisas.


Não pense em uma girafa. Não pense em uma elefante cor de rosa. Não olha para a sua mão. Não pense no seu pé.


Sem perceber, o seu foco já foi para esses quatro lugares. Você automaticamente pensou na girafa, no elefante cor de rosa, no seu pé e olhou para sua mão.


O seu cérebro reptiliano funciona de modo a focalizar no que você não quer, porque essa é a parte da sobrevivência em você. A partir do momento em que você está tentando evitar algo, você inconscientemente direciona seu foco, consequentemente sua energia, para essa coisa.


Quando você diz "eu não quero pensar nisso", é exatamente nessa coisa que você fica pensando, ruminando, até ficar com sono e dormir. Quando você bloqueia seu medo, sua raiva, sua tristeza, porque você não quer sentir dor, então o seu foco vai para anestesiar e mascarar que isso não está ali. O seu corpo usa uma imensa quantidade de energia para evitar o choro de vir à tona, para evitar o grito de ser expresso.


2. Agradar aos outros

Se você não tem o seu foco, então você pega o foco de outras pessoas. Você faz das urgências de outras pessoas as suas. Você ocupa o seu tempo para não sentir seus medos. Você se torna a salvadora do mundo para não sobrar espaço para você, porque quando o seu foco não está em alguém você sente. Você sente a dor do abandono, você sente tristeza da solidão.


Quando você entra em uma sala de amigos ou do trabalho, qual é o primeiro lugar que o seu foco vai? Se você é o tipo de pessoa que entra na sala e a primeira coisa que você faz, automaticamente, é escanear em cada pessoa suas expectativas e necessidades, então o seu foco está distribuído, está em cada pessoa.


Quando você tem choque entre a quantidade de coisas pra fazer e o tempo de 24 horas é quando você se sente sobrecarregado, cansado.


A sensação física é como se você colocasse parte de você em trens indo em diferentes direções. Você corta seu coração e coloca em um trem, coloca sua perna em outro trem, seu cérebro em outro trem, seu braço em outro trem. No fim do dia, da semana, todas essas partes de você estão fragmentadas em milhares de pedacinhos e você não está mais inteira. Você está repartida energeticamente entre diferentes pessoas.


3. Prazer imediato

Uma das estratégias mais eficientes para evitar sentir dor é buscar por prazer imediato que traz um alto pico de dopamina, como por exemplo: passar o dedo no instagram, sair e entrar de apps, jogos, sexo, chocolate, drogas, séries, ficar maratonando videos de transformação no youtube. A armadilha nos picos de dopamina é que o seu sistema fica viciado. Depois de um pico de dopamina o seu cérebro fica inundado com uma euforia e uma sensação de alívio. Um tempo depois essa linha de dopamina cai drasticamente, para além da linha natural, o que gera uma sensação de cansaço, embriaguez.


Como consequência, os seus corpos vão aos poucos, perdendo a possibilidade de experenciar o contentamento ao fazer coisas que geram dopamina de forma mais estável e constante, como ler um livro, passar um dia na piscina com os amigos, apreciar o pôr do sol, ter uma conversa profunda e íntima com seu parceiro. É como se a vida perdesse cor, e você estivesse sempre buscando por mais e mais intensidade para conseguir se sentir vivo.


O seu gremling tem inteligentes formas de te chantagear, manipular e convencer a se distrair nesse ciclo porque assim você pode evitar responsabilidade sobre sua vida e ser uma vítima de não ter possibilidades suficientes para mudar. Um exemplo é seu gremling pegar uma tarefa, fazer ela maior do que ela é, adicionar camadas e camadas de complexidade, até você ter motivos suficientes para se distrair: "ah, vou só dar uma olhadinha nessa mensagem, depois eu termino isso." Essa é a semente para a procrastinação.



ONDE VOCÊ ESCOLHE COLOCAR SEU FOCO?

O tempo não é algo que você possui. Não é uma coisa ou um objeto que você tem ou deixa de ter, logo dizer "não tenho tempo para isso" é um mundo de fantasia.


O tempo é sobre foco e decisão. Quando você escolher colocar o seu foco em algo é para lá que a sua energia flui, então é lá que você está criando.


Onde você coloca seu tempo é uma escolha. Deixar de escolher também é uma escolha. O tempo é um recurso limitado para você que tem um corpo com prazo de validade. Nesse tempo biológico que você habita, onde você coloca seu foco?


MATRIZ DE EISENHOWER, aplicada ao contexto Possibility Managment


Urgente é o que precisa ser feito agora. É o que tem uma pressão de tempo para ser feito. Importância é ao que você atribui significado, o que te importa. Esse mapa pode ser desenhado com 3 lentes: Ser, Gremling e Caixa. O que você usa para determinar que algo é importante? O que faz algo ser importante ou deixar de ser importante? Ter "estabilidade" financeira é importante para você ou para sua caixa se sentir no "controle"? Ter uma casa própria, ter um carro, ser bem "sucedido" é importante para quais partes de você? Onde você escolhe colocar a maior parte do seu tempo? Sua prioridade é sempre o que é urgente? Quanto tempo você dedica para cada um desses quadrantes?


1. POUCO IMPORTANTE E POUCO URGENTE

Nesse quadrante estão as distrações. Coisas que você não tem uma urgência pra fazer, e também não são nada importantes para o seu Ser, mas você faz porque quer se distrair, "quer relaxar", descontrair.


São coisas que não exigem sua presença, você pode fazer quase que de forma automática, como comer doritos, jogar candy crush, fumar cigarro, checar e rechecar mensagens.


Geralmente quando você passa um tempo fazendo coisas desse quadrante você se sente drenado, frustrado, cansado. É basicamente festa do seu gremling.


2. POUCO IMPORTANTE E MUITO URGENTE

Quando algo não é importante para você e você faz de qualquer forma, então é porque você está pegando a urgência de outra pessoa.


Você já tentou colocar um dia sem nenhum compromisso durante a semana, e exatamente nesse dia, várias pessoas te procuram para tentar agendar algo? Ess as pessoas chegam "eu preciso muito falar contigo, é urgente, eu preciso da sua ajuda." Elas têm uma alta urgência e "precisam" me ver. E aí vem "ela precisa de ajuda, eu preciso prover, eu preciso criar espaço para a urgência dessas pessoas". E então tcharam, o dia que estava vazio agora já tem 4 coisas marcadas.


A pergunta quando alguém chega com uma urgência poderia ser: como isso se tornou uma urgência?


A pessoa não tomou cuidado dessa coisa no tempo em que não era urgente. Agora se tornou urgente e agora essa pessoa me apresenta a urgência para mim e eu escolho (inconscientemente) pegar essa urgência para mim também. Em um piscar de olhos você tem um prato cheio de coisas para se distrair nos problemas dos outros e depois ter um banquete delicioso para o seu gremling se deliciar em culpar os outros por você não ter tempo para você.


Se você está viciada em perder o seu foco em outras pessoas então você terá dificuldade em distinguir entre a urgência dos outros, a urgência das vozes na sua cabeça e as suas próprias urgências. O resultado disso é que você cria a sua vida de forma a estar constantemente cansada e sobrecarregada.


Esse quadrante tem uma certa desilusão, porque você se convenceu de que você tem que fazer todas essas coisas.


3. MUITO IMPORTANTE E MUITO URGENTE

Neste quadrante as coisas começam a te demandar, porque são importantes e urgentes. Não tem como você dizer não. Demanda um foco preciso no agora e pode pegar muito ou pouco tempo.


A parte sobre algo se tornar urgente, na maior parte das vezes, está conectado a você estar anestesiando seu medo. O medo é a energia que te avisa "seria melhor se você checasse essas taxas do governo, se deixar para depois pode ter muitos juros", "é hora de fazer um check up no médico e cuidar da sua saúde". O medo te avisa antes das coisas darem merda e ficarem urgentes, ele te informa "cuidado com isso", é hora de fazer isso.


Quantas pessoas sentem sintomas no corpo físico, por semanas, meses, às vezes até anos e nunca checam o que é. Depois quando se torna urgente e importante elas correm para o médico em puro stress e preocupação e descobrem algo grave.


Muitas coisas que antes eram pequenas, se tornam tão importantes e tão urgentes porque você não cuidou disso antes. Esse quadrante vai ficando sempre cheio e cheio, gerando stress e então não há foco e espaço para o que é realmente importante.


Elementos importantes que podem contribuir nesse quadrante é convidar para colaboração, delegar, perguntar por ajudar, chamar alguém que está feliz em fazer isso e convidá-la.


Você não precisa fazer tudo sozinho.


4. MUITO IMPORTANTE E POUCO URGENTE

Enquanto nos outros 3 quadrantes a energia é investido, neste quadrante a energia é retornada. É sobre o que te traz preenchimento, realização, satisfação, vida. É sobre o que realmente importa para você.


No urgente, é você entregando o seu centro e foco para o tempo. O tempo está determinando a próxima coisa a ser feita, o próximo prazo a ser cumprido.


Nesse quadrante é você escolhendo e determinando o que é importante, qual a próxima coisa a ser feita.


Montando esse quadrante com alguns grupos percebi que esse foi o que as pessoas mais levaram tempo para pensar em exemplos. As pessoas não tinham clareza sobre o que realmente importavam pra elas. Muito do que julgavam importar para elas era na verdade o que importava para a mãe delas, para o chefe, para o filho, para a sociedade. "Guardar dinheiro", "Ter um casamento sucedido", "Ser Feliz e bem sucedido".


É doloroso perceber que você vem colocando a maior parte do seu foco onde você não quer na verdade. Que você direciona sua preciosa energia para criar coisas que você julgava ser importantes pra você, mas na verdade você só importou das expectativas externas do que os outros esperam que você seja. Te convido a permitir essa dor estar presente, ela é catalisadora para que algo mude.


Tirando tudo o que é importante para os outros, o que sobra? Sobre o que você sente raiva no mundo? Sobre o que você sente tristeza no mundo? O que realmente importa para o seu Ser?


Ter conversas significativas com as pessoas? Caminhar com os pés na terra? Criar tempo para brincar com seus filhos? Amparar espaço para pessoas fazerem travessias em seus mundos internos? Empoderar pessoas a florescerem sua essência? Criar uma rede de apoio externo para que o Ser Humano desabroche seu máximo potencial? Estar com pessoas para que elas despertem o seu fogo de vida?


Se você escolhe colocar 50 a 60 por cento do seu tempo no que é importante para você (não para seu ego, não para seu gremling), então a sua vida ganha um boost de energia e você começa a conseguir lidar com as coisas antes delas se tornarem urgentes. Você começa a fazer todas as outras coisas, dos outros quadrantes, por causa desse quadrante.


Você ganha a possibilidade de não ter mais um to-do list, porque tudo que você faz é de um lugar de catalisar seu propósito no mundo. Você passa a escovar os dentes como Amor, você vai buscar seu filho na escola como Aventura, você participa de uma reunião no trabalho como Clareza, você se torna os princípios brilhantes do Universo.


Você recupera o seu poder de escolher o que você quer fazer ao invés de fazer o que você deveria fazer. Você deixa de ser uma vítima que não tem possibilidades suficientes. A partir desse lugar você ganha a possibilidade de acessar muito mais energia para lidar com os outros quadrantes porque a sua alma e o seu coração estarão nutridos.


Para sair da confusão, da sobrecarga, da procrastinação, um dos principais músculos a serem praticados é o da raiva consciente. É através dessa energia que você é capaz de acessar o que você realmente se importa.


Se tempo, foco, clareza, decisão é um problema na sua vida, então te convido para um espaço de prática dessas habilidades que é o Clube da Raiva.


As datas para as próximas turmas:

  • Clube da Raiva em Português- 5 encontros, começando dia 29 de março, quartas-feiras das 5h às 7h pm BR e 9h ás 11h pm PT

  • Rage Club in English- 6 encontros, começando dia 11 de abril, terças-feiras, das 7h às 9h30 CET timezone.

  • Clube da Raiva em Português- 5 encontros, começando dia 16 de maio, terças-feiras das 7h às 9h30 pm BR

Para fazer perguntas sobre e se inscrever me escreva aqui.


EXERCÍCIOS


1. Quais as estratégias que você usa para evitar a dor?


Por uma semana escreva em seu diário todas as coisas que você vem tentando evitar, uma dica é você pegar frases com "não quero". "Não quero ter essa discussão com meu parceiro sobre meu casamento", "não quero falar com essa pessoa", "não quero me comprometer com esse projeto", "não quero mais comer açúcar", "não quero mais faltar academia".


Depois disso escreva na frente de cada uma dessas coisas que você vem evitando quais os sentimentos por trás dessa coisa. Como: sinto medo de colocar a merda na mesa com o meu parceiro e ele escolher terminar a relação comigo; sinto medo de não parar de comer açúcar e engordar, sinto medo de me comprometer com esse projeto porque temo não dar conta.


E então você procura por um amparador de espaço para completar essa emoção e através disso encontrar o que você quer. Você encontra através do sentir o que você quer, ao invés do que você não quer.


Ao invés de "não quero comer mais açúcar" você pode escolher "eu me comprometo a cuidar do meu corpo físico e nutri-lo com Amor".


Ao invés de "não quero ter essa discussão com meu parceiro sobre meu casamento" você escolher "eu Sou Integridade e Honestidade no meu casamento."


Ao fazer isso não apenas mentalmente, mas em todos os corpos, o lugar para onde seu foco está indo muda. Ele deixa de estar na coisa em si, porque você está evitando, e passa a ser direcionado para o que você de fato decide criar. O fluxo da energia ganha uma nova direção.


Você pode testar por si mesma e descobrir o que acontece.


2. Pegue 3 folhas de papel. Desenhe em cada uma os 4 quadrantes de importância por urgência. Na parte de trás escreva SER, GREMLING, CAIXA.

Comece a mapear na perspectiva dessas 3 partes de você, onde você coloca o seu foco partindo da perspectiva de cada uma dessas partes em você. O que a sua caixa (ego) coloca como importante e como urgente? Como o seu Ser preenche esses quadrantes?


Use isso como uma base para pesquisar onde você vem investindo o seu tempo.


3. Convide um amigo, amiga para fazer esse exercício com você. Você vai experimentar acessar a sua raiva e o seu medo de forma consciente para falar o que te importa.


O seu parceiro, parceira vai colocar no cronômetro 7 minutos. Você vai subir em uma cadeira e ficar bem na borda dela. Você vai pedir pra essa pessoa te perguntar com raiva: "Sobre o que você sente raiva?". E então você vai começar a falar. Se permita ser surpreendido, deixe as palavras saírem antes que você pense. Enquanto você fala o seu parceiro te incentiva a ir mais alto, a continuar.


Depois de 3 minutos essa pessoa vai te perguntar: "O que essa raiva te mostra que você se importa? Com o que você realmente se importa? Deixa o dragão dentro de você falar. Vai!". É importante que você como parceiro, você esteja junto da pessoa, dizendo vai, repetindo a pergunta.


Depois de 7 minutos, vocês trocam os papéis. Quem amparou o espaço tem a chance agora de falar.


Dica: Coloque o celular para gravar. Nesse exercício, coisas surpreendentes, que você nunca disse antes, vem à tona!


Muita diversão e experimentação para você!


Material usado para esta pesquisa:

- Minhas próprias experiências

- Esta worktalk que foi facilitada por Ana Norombuena

- Nesta oficina em que facilitei


Com Amor, Gabriela

54 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page